Óleo Essencial de Hortelã Pimenta ( Mentha )- ANVISA

Produto novo

Óleo essencial de Hortelã Pimenta ( Mentha Piperita)

Óleos essenciais são princípios ativos naturais proveniente de plantas naturais e aromáticas. Características principais dos Óleos Essenciais: são voláteis, não contém ácidos graxos, auto conservantes, não emolientes, baixa espalhabilidade, solúveis em álcool, aroma da planta, não umectante e não hidratante.

  • ANVISA número de registro : 25351095629/2017-67
  • Validade : 10 ml (12/2022) e 50 ml ( 11/2023)
  • Cromatografia no banco de imagens.

Mais detalhes

203 Itens

De R$ 35,60

Por R$ 33,82

  • 10 ml
  • 50 ml

Ficha técnica

NCM33012990

Mais informações

Óleo Essencial de Mentha Piperita ( Hortelã Pimenta) - Óleo essencial 100 % puro - vidro Ambar 

  • ANVISA número de registro : 25351095629/2017-67
  • Óleo essencial de Mentha Piperita - Teor de Mentol= 52,40%
  • Modo de usar: em massagens diluído em óleo vegetal, banhos e aromatização. Não usar puro sobre a pele.
  • Mantenha o produto fora do alcance de crianças e ao abrigo da luz e calor.  
  • Em caso de irritação , retire imediatamente o produto com água corrente , suspenda o uso e procure orientação de um profissional da saúde.

INCI: Mentha piperita Oil

Nome botânico : Mentha piperita

Família botânica : Lamiaceae

Botanicamente é uma espécie hibrida de duas outras mentas, Mentha spicata, conhecida como spearmint ou mentha viridis ( menta de jardim) e menta aquática (Mentha sativa ou menta da água), conhecida popularmente como sândalo de água.

CAS Number: 84082-70-2

Origem: India

Obtenção :Destilação a vapor da erva fresca , incluindo flores.

Óleo essencial 100 % puro- Embalagem vidro âmbar.

Principal componente : mentol , demais componentes : mentona e 1,8 cineol.

Sinergia com : Alecrim, Camomila romana, Lavanda, Manjerona, Manjericão e Frankicense ( Olíbano). 

O essencial de menta é para os casos de inchaço e de dor. É vasoconstritor, analgésico, anti-inflamatório, carminativo, cefálico e bactericida, ideal para aplicações em lesões e inchaços. 

Nos cabelos, é utilizado como regulador da produção sebácea e da caspa. Nos tratamentos faciais, age contra inchaços e fadiga da musculatura facial . Também é vaso constritor e fecha o poros; nesse caso, deve ser aplicado por meio de compressa fria. Esse tratamento é bom em acidentes com trauma ou fratura, quando é preciso reduzir o inchaço rapidamente para liberar cirurgia.  

Em massagens e banhos , é refrescante, energizante, revigorante, analgésico  e estomáquico. Age como estimulante e melhora a respiração e o desempenho muscular.

CUIDADOS E PRECAUÇÕES:
Uso externo.

Não utilizar em crianças menores de 5 anos, nuca usar em recém nascidos e bebês. Para aplicações alérgicas, oferece risco de edema de glote.

Não usar puro sobre a pele. Usar sempre diluído (como em óleo vegetal ou em bases cosméticas neutras).

Se ocorrer irritação, suspenda o uso.
Usar sempre em baixa dosagem.

NÃO USAR: em grávidas. Desaconselhável o uso nos  três primeiros meses de gestação.

Manter fora do alcance de crianças, ao abrigo da luz, calor e umidade.

O que são óleos essenciais?
Os óleos essenciais são extraídos de plantas aromáticas por destilação ou, no caso de frutas cítricas, por pressão das cascas de seus frutos. São líquidos de baixa viscosidade, fisicamente parecidos com éter ou álcool. Eles não tem a oleosidade que identificamos nos óleos vegetais, diferenciando-se integralmente do conceito comum de ´´óleo``. Os óleos essenciais são concentrados, voláteis, que oferecem propriedades medicinais, devido à presença de princípios ativos  que atuam em diversos processos metabólicos, regenerativos e antissépticos. Não conferem apenas odor, tem efetivamente função terapêutica. Os óleos essenciais são verdadeiras joias vegetais que, quando diluídos e aplicados corretamente, são compatíveis com a pele, musculatura, circulação, respiração, enfim, todos os sistemas do corpo salvo a mucosa visual.

Referências Biliográficas

  • Abascal K, Yarnell E. Plants for addressing multidrug resistance: An update. Alternative and Complementary Therapies. 2013;19(3):126-32.
  • Brasil. Ministério da Saúde. ANVISA. Resolução - RDC N° 10 de 09/03/2010. Dispõe sobre a notificação de drogas vegetais junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) e dá outras providências. Brasília: ANVISA; 2010.
  • Nair B. Final report on the safety assessment of Mentha Piperita (Peppermint) Oil, Mentha Piperita (Peppermint) Leaf Extract, Mentha Piperita (Peppermint) Leaf, and Mentha Piperita (Peppermint) Leaf Water. Int J Toxicol. 2001;20 Suppl 3:61-73.
  • Paul R, Datta KA. AN UPDATED OVERVIEW ON PEPPERMINT (MENTHA PIPERITA L.). International Research Journal of Pharmacy. 2011;2(8):1.
  • Sánchez E, García D, Carballo C, Crespo M. Mentha x piperita. Revista Cubana de Plantas Medicinales. 1996;1(3):40-5.
  • Schuhmacher A, Reichling J, Schnitzler P. Virucidal effect of peppermint oil on the enveloped viruses herpes simplex virus type 1 and type 2 in vitro. Phytomedicine. 2003;10(6-7):504-10.