Taurato (Surfactante Aniônico) - Única Opção

Produto novo

INCI:  Sodium Methyl Cocoyl Taurate

Surfactante aniônico sem sulfato que é naturalmente derivado do coco e pode ser usado em muitas aplicações de cuidados pessoais. Contribui com excelentes propriedades espumantes, lubricidade, detergência e suavidade às formulações. é compatível com todos os tensoativos não iônicos e aniônicos, é estável em uma ampla faixa de pH e é eficaz mesmo em condições de água dura.

Faixa de atuação de pH: 3,00 a 11,00

Qualidade da espuma: Moderada.

A Cosmetics Ingredient Review considerou o metil-cocoil taurato de sódio seguro para uso em produtos cosméticos “quando formulado para não ser irritante”.A Whole Foods considerou o ingrediente aceitável em seus padrões de qualidade de cuidados com o corpo. 

Mais detalhes

14 Itens

R$ 39,95

  • 200 gr

Ficha técnica

NCM34013000

Mais informações

INCI:  Sodium Methyl Cocoyl Taurate // Metil-Cocoil Taurato de Sódio

Aparência do produto: pasta homogênea branca.

Surfactante aniônico sem sulfato que é naturalmente derivado do coco e pode ser usado em muitas aplicações de cuidados pessoais. Contribui com excelentes propriedades espumantes, lubricidade, detergência e suavidade às formulações. é compatível com todos os tensoativos não iônicos e aniônicos, é estável em uma ampla faixa de pH e é eficaz mesmo em condições de água dura.

Faixa de atuação de pH: 3,00 a 11,00.

Teor de Ativo: 30,10 %

Qualidade da espuma: Moderada.

Dosagem de aplicação: 10% a30 %.

Aplicações: xampus para cabelos danificados, xampus infantis, sabonetes liquidos , espumas de banho.

Critérios para a Escolha de Tensoativo sem Sulfato.

Desafio técnico

As principais considerações a respeito de shampoos sulfate free feitas por profissionais de P&D das indústrias cosméticas costumam ser:

  1. Espuma: geralmente, para atingir uma quantidade de espuma adequada ao padrão de aceitação do consumidor, deve-se utilizar uma dosagem mais elevada de tensoativos sulfate free comparada à dose usual de SLES.

  2. Viscosidade: formulações com tensoativos sem sulfatos não respondem facilmente a eletrólitos, o que exige a utilização de agentes espessantes e modificadores reológicos propriamente ditos.

  3. Desempenho: formulações sulfate free, quando comparadas diretamente com formulações tradicionais contendo tensoativos sulfatados, não possuem desempenho comparável ao destas, não atendendo às expectativas dos consumidores.

Alguns tensoativos sem sulfatos não apresentam resposta satisfatória ao incremento da viscosidade pela adição de eletrólitos. Dessa maneira, é necessário adicionar modificadores de reologia, como polímeros e derivados de celulose, para atingir a viscosidade desejada para shampoos e sabonetes líquidos.

O methyl acyl taurates e o acyl methyl isethionates, por exemplo, respondem facilmente à adição de eletrólitos para o aumento da viscosidade. É possível formular shampoos com viscosidade satisfatória utilizando tensoativos anfóteros (cocoamido propil betaína – CAPB, por exemplo) em associação com acyl methyl isethionates, uma vez que tensoativos anfotéros têm alto conteúdo de cloretos. Os alkyl polyglucosides, especificamente o lauryl polyglucoside, são sinérgicos com tensoativos aniônicos para a construção de viscosidade. Além disso, foi observado que o alkyl polyglucosides tem melhor resposta a eletrólitos em pH menores do que 5.

Referências Bibliográficas

  • Cannon AS, Warner JC. Green Chemistry: Foundations in Cosmetic Sciences. Global Regulatory Issues for the Cosmetics Industry 1-16, 2009.
  • Daltin D. Tensoativos: química, propriedades e aplicaç ões, 1a. ed., São Paulo: Blucher, 2011.
  • FDA US Food & Drug Administration. 1,4 Dioxane in Cosmetics: a Manufacturing Byproduct. On-line. Disponível em: www.fda.gov/cosmetics/productsingredients/potentialcontaminants/ucm101566.htm. Acesso em: 3/11/2018.
  • Schramm LL et al. Surfactants and their applications. Annual Reports on the Progress of Chemistry, Section V 99:3-48, 2003.