Novo Extrato OLEOSO de ALOE VERA - Opções Ver maior

Extrato OLEOSO de ALOE VERA - Opções

Produto novo

Extrato OLEOSO de  ALOE VERA 

Extração por Solvente : Oleo de Girassol

Nome Científicio  : Aloe Vera (L) Burm.f.

Parte Utilizada :  Folha

Família : Xanthorrhoeaceae

Método de Produção : Maceração  e Percolação 

Antioxidante : Vitamina E

Informações adicionais: não testado em animais e sem ingredientes de origem animais, para low poo e no poo,  vegano, não contém: parabenos, sulfatos, perfume artificial, corante artificial , óleo mineral e silicones.

Importante: Uso externo, não utilizar puro sobre pele e cabelos.

Mais detalhes

9 Itens

R$ 23,40

  • 120 ml

Mais informações

ALOE VERA

A história da Aloe vera é antiga e se encontra presente na literatura de diversas culturas. Seu nome provavelmente se origina da palavra arábica alloeh, que significa substância amarga e brilhante. O primeiro registro do uso da A. vera foi feito em uma tabuleta de argila da Mesopotâmia datada de 2100 a.C. (Atherton, 1997).

Conhecida no Egito antigo como a "planta da imortalidade", teria sido usada por Cleópatra nos cuidados da pele e do cabelo. Menções existentes na Bíblia, de acordo com muitos historiadores, seriam na verdade de outras plantas, a Excoecaria agalocha L. ou da Aquillaria agalocha L. (Teske & Trentini, 1997; Alonso, 2007).

É citada na enciclopédia História Natural de Plínio, o Velho (23 - 79 d.C.) e na Matéria Médica de Dioscórides, considerado o fundador da Farmacognosia, que fez referência ao cheiro forte e gosto amargo da A. vera, e ao seu uso no tratamento de irritações da pele e na cura de furúnculos e feridas (Haller, 1990).

Foi trazida por comerciantes para o mercado londrino em 1693 e em 1843 quantias consideráveis eram importadas. Atualmente é plantada em grande escala em diversos países, como México, EUA e China. Foi reconhecida pela Farmacopeia Britânica como droga oficial em 1932 sendo aceita também em diversas outras farmacopeias. É muito comum no Brasil onde é popularmente utilizada na cicatrização de feridas, no tratamento de queimaduras, conjuntivite, dores reumáticas dentre outros males (Haller, 1990; Alonso, 2007; Lorenzi & Matos, 2008; Guerra et al., 2008).

A Aloe vera (L) Burm. f. pertence à família Aloaceae que inclui cerca de 15 gêneros e 800 espécies. É uma planta herbácea que cresce em qualquer tipo de solo, mas é melhor adaptada aos leves e arenosos e não exige muita água. Suas folhas são verdes, grossas, suculentas e medem de 30 a 60 centímetros de comprimento. Suas flores são vistosas, apresentam tonalidade branco-amarelada, em formato tubular. Na literatura é encontrada com as sinonímias Aloe barbadensis Mill., Aloe barbadensis var. chinensis Haw., Aloe perfoliata var. vera L., Aloe chinensisBak. e Aloe vera var. chinensis Berger. Popularmente é chamada de babosa, aloe, aloe-de-barbados e aloe-de-curaçao. (Lorenzi & Matos, 2008; WHO, 1999).

O extrato OLEOSO de Aloe Vera  possui : compostos antracênicos (aloína, aloe-emodina, aloinase); mucilagem; carbohidratos; polissacarídeos; ácido crisofânico; enzimas (celulose, carboxipeptideos, catalase, amilase, oxidose), aminoácidos; vitaminas B, C, E e sais minerais.

Propriedades  - emoliente, cicatrizante, tonificante, antiinflamatória, suavizante, lenitiva, refrescante, hidratante, protetora e restauradora de tecidos.

Aplicações -  formulações para peles ( delicadas, sensíveis, irritadiças e/ou secas), tratamento da acne, psoríase, coceiras, eczemas, erisipela, picadas de insetos e de pequenos ferimentos (como cicatrizante). 

Procedimento - pode ser incorporado  em (cremes, loções cremosas, hidroalcoólicas ou tônicas, em shampoos, géis, cremes para banho, loção de limpeza, filtros solares e outros produtos cosméticos.

Enviamos laudo técnico com o produto.

Comodo SSL