Manteiga de Cacau Desodorizada - Opções

Produto novo

A manteiga de cacau é a gordura natural da semente de cacau. Composta de ácido palmítico, ácido esteárico e ácido oleico, a manteiga de cacau tem propriedades incomparáveis á qualquer outro tipo de gordura vegetal, pois é altamente estável, tem textura suave e ainda é rica em substâncias antioxidantes. 

Manteiga de Cacau , manteiga vegetal 100 % pura.

Validade : 06/2023

Mais detalhes

90 Itens

R$ 35,90

  • 200 gr
  • 500 gr
  • 1 kg
  • 2,5 kg

Ficha técnica

NCM18040000

Mais informações

MANTEIGA DE CACAU - 100 % pura - Origem : Vegetal

INCI Name: Theobroma Cacao Seed butter

Nome botânico : Theobroma cacao

Família botânica : Malvaceae

CAS Number: 8002-31-1

Obtenção : prensagem á frio

O cacau ou cacaueiro (Theobroma cacao L. – família Malvaceae) é uma árvore frutífera perenifólia, nativa da floresta tropical úmida americana (America  Central e do Sul), com principal origem nas nascentes dos rios Amazonas e Orinoco. No Brasil, possui distribuição geográfica com ocorrências confirmadas para os estados do norte (Acre, Amazonas, Amapá, Para e Rondônia) e nordeste (Bahia e Maranhão). Está sob os domínios fitogeográficos da Amazônia e Mata Atlântica, ocorrendo em floresta de terra firme, floresta de várzea e em áreas antropizadas. A árvore do cacau mede de 6 a 12m de altura, possui ramos cilíndricos e tomentosos quando jovem. As folhas são alternas, com pecíolo curto, ovais, acuminadas, inteiras, com nervura pinada e discolor. As flores possuem pétalas brancas, amarelas ou róseas, sésseis, pentâmeras, cálice gamossépalo, corola dialissépala. Apresentam caulifloria. Os estames são isostêmones, com 5 estaminódios. O ovário é supero, pentalocular, plancentação parietal. O fruto é uma baga ovoide, de cor amarela, variando até o vermelho-escuro, coriaceo-cartilaginoso, sulcado, quase liso e verrucoso. As sementes são ovoides, comprimidas e envoltas por uma polpa aquosa, mucilaginosa e ácida. O cacaueiro apresenta incompatibilidade sexuada o que significa que o  pólen de uma flor em uma planta não consegue fecundar os óvulos das flores da mesma planta (autoincompatibilidade) e de outras plantas (interincompatibilidade), necessitando de polinização cruzada. A árvore cacaueira frutifica abundantemente em sua fase jovem indo até a fase madura e mantém uma produção satisfatória. A manteiga de cacau é muito usada em formulações cosméticas e dermatológicas. O cacaueiro contém em sua constituição química: teobromina, sacarose, glicose, cafeína, mucilagem, tanino, esterol, amido, substâncias nitrogenadas, sais minerais e etc.

A manteiga de cacau possui propriedades hidratantes e emolientes, ou seja, recupera a oleosidade do tecido perdida durante o ressecamento causado por exposições ao sol ou frio excessivo. Sendo um excelente hidratante, é facilmente absorvida pela pele, atingindo as camadas mais profundas, tornando-a mais suave. Também é capaz de regenerar a fibra capilar deixado-a macia e maleável. Assim, a manteiga de cacau é usada na fabricação de cremes e loções hidratantes e sabões como xampus e sabonetes. Na indústria farmacêutica, a manteiga de cacau é um veículo importante na fabricação de óvulos e supositórios.

Rica em polifenóis, que são pigmentos naturais com atividade antioxidante, a manteiga de cacau também previne contra o envelhecimento celular, eliminando os radicais livres formados no processo natural de envelhecimento, podendo ser usada em formulações com este propósito.

A manteiga de cacau é muito usada em formulações cosméticas e dermatológicas.

Até o momento, ainda não se verificou toxicidade em função do uso da manteiga de cacau em preparações alimentícias, farmacêuticas ou cosméticas.

Dosagem de aplicações : loção cremosa: 0,5 a 0,8%, Shampoo: 0,10%,

Saiba mais sobre o processo desodorização :

A desodorização é  uma destilação efetuada com auxílio de vapor direto, utilizado como veículo de arraste dos voláteis. A utilização do vapor direto (stripping) permite uma redução na pressão de volatilização dos componentes a serem removidos, de forma que o processo seja realizado a uma temperatura que não cause dano ao óleo ou gordura.  A desodorização é efetuada, dependendo do tipo de óleo, a uma temperatura entre 180 até 270°C e pressão residual (vácuo) de 2 a 6 ambar. O tempo de retenção (permanência do produto no desodorizador nas condições de processo) varia de 15 até 80 minutos sendo o mais usual 45 a 60 minutos.O tempo de desodorização é importante não só para máxima eliminação das substancias voláteis assim como para a redução da cor. A cor nos óleos é provocada pelos carotenóides que, na desodorização se decompõe pela ação da temperatura, em cadeias curtas e conseqüentemente voláteis. Na desodorização observa-se uma grande redução na cor amarela do óleo.

Referência bibliográfica:

Amorim, A. O., Orlandelli, R. C., Pamphile, J. A. Controle de patógenos do cacaueiro (Theobroma cacao L.) por fungos endofíticos dos gêneros Trichoderma Clonostachys. Rev. Uningá Review, Maringá, v. 34, n. 1, p. 1-10, jan./mar. 2019.

Grandi, T. S. M. Tratato de plantas medicinais [recurso eletrônico]: mineiras, nativas e cultivadas. 1ª ed. Dados eletrônicos. – Belo Horizonte: Adaequatio Estúdio. 2014.