Aromaterapia e Aromacologia no bem estar do dia a dia.

De volta ao assunto de memórias e a ciência de odores clique aqui, pudemos observar como os odores estão intimamente ligados ao nosso bem estar e as nossas memórias olfativas, mas como podemos usufruir de maneira benéfica no nosso bem estar? O olfato é um dos sentidos mais potentes que temos, quando inalamos óleos essenciais,  as células olfativas são estimuladas e repassam para o sistema límbico (centro emocional do cérebro), as propriedades de cada óleo essencial estimulando diferentes sistemas em nosso cérebro…pensando nisto é que surge a aromaterapia muito conhecida no mundo atual, que consiste no conjunto de técnicas de aplicação de óleos essenciais para obter efeitos terapêuticos (físicos ou emocionais), entre essas técnicas podemos citar:  a difusão aérea, massagem, banhos, fricção, compressas, escalda pés, pulverização, inalação e sauna facial entre outras.

Agora vamos conversar um pouquinho sobre aromacologia,  termo utilizado para definir efeitos psicológicos e fisiológicos das fragrâncias naturais( óleos essenciais)  ou sintéticas( essências), explorando as relações existentes entre os compostos aromáticos e os estados de espírito que eles estimulam em nosso bem estar diferentemente da aromaterapia, a aromacologia não se propõe a aplicações terapêuticas, dedicando-se principalmente as questões sensoriais.

Para entendermos melhor cito aqui um exemplo: quando compramos um xampu para cabelos oleosos a essência de menta (produto sintético) está ligado sensorialmente a função refrescante, mas não fisicamente a ação deste dependeria de um princípio ativo como óleo essencial de menta que poderia
estar ou não presente na fórmula, sabemos que o óleo essencial de menta tem a função de regular a produção sebácea e caspa, e também poderia proporcionar odor refrescante, outro exemplo seria os aromatizantes de ambiente cuja a função principal é proporcionar bem estar ao ambiente, em sua maioria estão presentes as essências.

No próximo post concluiremos a ciência dos odores falando dos óleos essenciais e das essências sintéticas.

Até lá,

Inês Martins