Cinco erros de maquiagem.

Veja como evitar cinco erros no preparo da pele para a make.

 

1 – Não limpar a pele com produtos adequados

Todo mundo sabe que tirar a maquiagem antes de dormir é imprescindível. Porém, a importância de limpar a pele antes da produção não é tão conhecida quanto deveria. Segundo Fernando Lambert, colocar produtos em cima da pele suja pode favorecer o envelhecimento precoce. “Além disso, tende a prejudicar a duração da maquiagem, devido à falta de uniformidade, e causar desidratação”, completa.

2 – Não Hidratar a pele

Manter a hidratação da cútis traz benefícios para a sua saúde e também para a finalização da make: “ usar os produtos antes do creme hidratante não é legal , pois a pele irá absorver a hidratação que virá maquiagem . Se a base , por exemplo , não for hidratante , será um problema. Isso sem falar dos produtos em pó “

3 –  Esquecer-se do protetor solar

Muitas mulheres acreditam que a maquiagem substitui o filtro solar, mas isso não é verdade. Se ela não tiver fator de proteção solar, é preciso aplicar um filtro depois de limpar e hidratar a pele. “A falta de proteção adequada contra os raios solares acelera o processo de envelhecimento cutâneo”, alerta Márcio. Uma alternativa mais prática é o uso de uma base que contenha filtro solar.

4 – Não usar primer 

Também chamado de pré-base, a função do primer é deixar a pele pronta para a maquiagem. Ele hidrata e fecha os poros, tornando a região mais lisa e sem oleosidade. Isso é possível porque o produto cria uma espécie de filme protetor entre a cútis e a maquiagem, o que também garante mais durabilidade à produção e menos retoques ao longo do dia.

5 – Escolher a base errada  

Segundo os maquiadores, a base e o corretivo devem ser exatamente da mesma cor da pele. Para fazer a seleção certa, é preciso realizar o teste na face. “Escolher a base usando o punho ou pescoço não dá certo, pois essas partes do corpo não são da mesma tonalidade do rosto”, ressalta Lambert. Além disso, vale a pena escolher a tonalidade levando em consideração se a cútis é seca ou oleosa.

Óleo de jojoba, sempre!!

Olá, tudo bem!!! Certamente você já ouviu falar em JOJOBA,  planta que lembra um arbusto, proveniente da América do Norte, especialmente dos desertos de Mojave (Califórnia) e o deserto de Sonora (México).

Dos grãos da JOJOBA,  é removido as cascas  e a partir da prensagem a frio de suas sementes  obtemos  um óleo vegetal “nobre” composto por substâncias como : vitamina A,  vitaminas do complexo B,  vitamina E, ácido mirístico  e  96 % de Ceramidas.

As ceramidas são responsáveis pela barreira de permeabilidade da pele, evitando a penetração de agentes danosos do meio ambiente e a perda transepidermal de água, mantendo a pele hidratada, dessa forma proporciona um potente aumento da capacidade de retenção hídrica da pele, contribuindo para a hidratação . Já a vitamina E possui ação antioxidante que fortalece as paredes capilares da pele e melhora a sua hidratação e elasticidade, trabalhando como um agente natural de antienvelhecimento, contribuindo para diminuição da inflamação na pele, ajudando para que a pele tenha uma aparência jovem e saudável. As vitaminas do complexo B, auxiliam no processo de cicatrização de feridas e cortes.

vitamina A também penetra na pele e normaliza o processo de queratinização, deixando a pele lisa e macia, reduz o espessamento da epiderme, normaliza a pele ressecada e reduz a escamação do couro cabeludo. O  ácido mirístico proporciona ação anti-inflamatória e protege de irritações.

Se você não gostava  da pegajosidade dos  óleos vegetais sobre a pele , agora você tem um bom motivo para começar utilizar um óleo vegetal ,  o óleo de jojoba favorece toque seco  e  uma sensação de maciez aveludada , geralmente surpreende pela hidratação e umectação sem sensação gordurosa.

Abaixo  mais  bons motivos , para você ter um óleo de jojoba no seu uso diário.

  •  Reduz visivelmente as rugas e previne as estrias, mantendo a pele elástica: se usado constantemente. O óleo de Jojoba é muito útil em caso de desidratação, descamação, irritação e no cuidado de todo tipo de pele.
  • Combate a acne: o óleo de jojoba é um bom detergente natural e regulador da produção de sebo.
  • Excelente demaquilante: aplique algumas gotas de jojoba no algodão e retire a maquiagem do rosto e área dos olhos. Acredite, é ótimo!
  • Homens, o óleo de jojoba é uma ótima base para barbear: se aplicado como base para a espuma de barbear, o óleo de jojoba garante um barbear mas confortável e suave. Sua pele ficará mais macia quando terminar.
  • Eficiente hidratante corporal: espalhe algumas gotas de óleo de jojoba pelo corpo, mãos e pés.
  • Cuida bem dos seus cabelos: o óleo de Jojoba é muito eficiente em caso de caspa, pontas duplas e secas, protegendo contra fatores externos de danificação do cabelo (como sol, mar, frio e poluição). Aplique um pouco de óleo de jojoba nas pontas do cabelo, ou adicione algumas gotas ao seu condicionador depois de lavar com shampoo.
  • Combate a queda de cabelo: quando massageado diretamente no couro cabeludo, faz com que os folículos do cabelo fiquem livres das partículas, estimulando a germinação das células na epiderme e proporcionando um renovado crescimento dos cabelos. Também torna o couro cabeludo menos ácido, regulando as secreções glandulares. Basta massageá-lo diretamente no couro cabeludo e deixá-lo agir por 15–20 minutos antes de aplicar o xampu.
  • Hidratação labial: aplique o óleo de jojoba sobre os lábios e veja que hidratação.
  • Melhora as suas unhas: para ter unhas mais fortes e resistentes, aplique óleo de jojoba 1 ou 2 vezes por semana com uma leve massagem. Ele também hidrata as cutículas.

Espero que você tenha gostado. Até breve !!

Abraços, Inês Martins.

Dez cuidados fundamentais com os pés no inverno.

O inverno chegou e, junto com ele, a necessidade de cuidados especiais com o corpo. As baixas temperaturas agridem a pele, especialmente nas extremidades do corpo, como os pés e dedos. Segundo a pedóloga, Márcia Nogueira, responde as 10 principais dúvidas sobre a área nesta época do ano:

1 – Quais os principais cuidados com os pés nesta época do ano?
R: A hidratação diária é fundamental! Calçar sapatos confortáveis também é uma atitude preventiva muito importante, pois evitam o descolamento das unhas (onicólise), o encravamento das mesmas (onicocriptose) e a formação de calos e calosidades, que ocorrem como resultado da pressão constante dos calçados sobre estas áreas.

2 – Que atenção deve ser dada àscutículas?
R: As cutículas (eponíquio) protegem o local, onde se dá origem à unha, do ataque de microorganismos como os fungos, vírus e bactérias. Portanto, retirá-las profundamente é uma agressão. Remover apenas o excesso e hidratá-las, constantemente, as deixam saudáveis e com um bom aspecto. Você também pode aderir aos produtos que inibem o excesso de formação de pele nesta área. O mais difícil, a meu ver, é reeducar a cliente a não retirar a cutícula profundamente. Essa é nossa luta diária com clientes do sexo feminino.

3 – O uso do protetor solar nos pés também é necessário no inverno?

R: Inclusive no inverno, mesmo em dias nublados, o sol emite radiação. Há um grande índice de câncer de pele no dorso dos pés devido a falta de cuidado nesta área. O uso de Protetor solar nos pés, quando expostos, é obrigatório tanto no verão como no inverno!

4 – Quais os principais problemas que podem ocorrer pelo cuidado incorreto de unhas e pés?
R: As patologias mais comuns que acometem as unhas devido ao corte incorreto são a onicocriptose, que é a unha encravada, e a onicofose, que é aquele excesso de pele que se desenvolve embaixo da unha, devido à pressão na pele. O uso contínuo do esmalte também é um fator importante. Dá origem à leuconíquea, que são aquelas manchas brancas que ficam sobre as unhas. Isso ocorre porque, entre uma esmaltação e outra, é necessário dar um descanso para as unhas, para que elas arejem.
A onicofagia, que é o hábito de roer as unhas, também danifica sua formação, além de tornar o ambiente úmido, sujeito aos fungos e outros microrganismos. A infestação por fungos é muito comum nas unhas (onicomicose), pois se alimentam da queratina que as constituem.
Outra patologia muito comum nas donas de casa é a paquioníquea, que é a alergia a algum produto de limpeza mais a contaminação por bactérias e fungos. Executar as tarefas domésticas sempre com luvas de borracha e o uso tópico de um bactericida auxilia neste tratamento.

5 – Como os calos devem ser tratados?

R: Os calos são formados devido à pressão no local. A formação de hiperqueratose (engrossamento da pele) tem a intenção de proteger o local afetado. O calo só vai regredir e sumir se o agente mecânico for evitado. No caso, o calçado. Já no caso dos idosos, há formação de calos plantares devido à falta de gordura (coxins gordurosos), conseqüência da idade. Uma palmilha de conforto é bem vinda neste caso.

6 – Quais os hidratantes mais indicados para evitar o ressecamento dos pés no inverno?
R: Um creme de alta hidratação é indicado para esta estação. Indico aqueles que contêm aloe vera, com as propriedades umectante, antiinflamatória e revitalizante. Calêndula, com as propriedades emoliente, restauradora, cicatrizante e anti-séptica também é indicado. Este creme não deixa aquele aspecto gorduroso tão desagradável na pele.

7 – Você indicaria alguma receita caseira?
R: Existem várias receitas caseiras, mas eu não indico nenhuma. A dosagem correta de cada componente em uma fórmula é super importante e só o produto formulado por profissionais competentes devem ter o crédito do cliente.

8 – Os pés devem ser lixados? Com que freqüência?

R: Uma vez por mês é o suficiente. Lixá-los em demasia só fará com que a calosidade aumente, pois ela está lá para proteger a região. Se surgiu, teve algum motivo: aumento de peso, marcha incorreta e calçado inadequado podem ser uma das causas de seu aparecimento. Os pés, porém, devem ser HIDRATADOS, diariamente!

9 – Como evitar que micoses, fungos e frieiras surjam?
R: Os fungos e leveduras gostam de locais úmidos, escuros e quentes. Eles se alimentam de queratina, tanto das unhas como da pele. Para evitá-los, devemos tomar algumas medidas preventivas: usar meias de algodão, sapatos de couro (evitar os de plástico e alternar seu uso), enxugar bem entre os dedos (com toalhas separadas só para eles) e, se possível, secar os pés e unhas com secador após o banho. Banhos muito quentes propiciam o aparecimento de “frieiras”. Ao surgir alguma mancha nas unhas ou escamação nos pés, procure um podólogo para limpeza e orientações.

10 – Como evitar as rachaduras nos pés?
R: As rachaduras surgem nas calosidades devido à falta de elasticidade da pele, causada pelo ressecamento. O tempo seco, sandálias como as “rasteirinhas”, marcha inadequada, excesso de peso, problemas hormonais e até a quantidade de água que ingerimos contribuem para aumentar o ressecamento nas calosidades. A hidratação profunda diária é a melhor solução para estes casos. Devemos ficar atentos à causa dessa calosidade para evitar as rachaduras, pois estas são portas abertas para fungos, bactérias e vírus. Cicatrizá-las é a nossa maior preocupação.

 

Girassol, é o meu nome.

Olá, bom dia! Hoje vamos falar um pouquinho sobre os girassóis (Helianthus annus) , são plantas originárias da América do Sul cultivada pelos povos indígenas para alimentação, foi domesticada por volta do ano 1000 a.C. Suas flores e folhas são utilizadas para cicatrizar feridas e machucados. Suas sementes produzem um óleo de cor clara com aroma delicado ideal para usar como base de massagem ou ainda como um óleo para misturas com óleos essenciais.

O alto teor de ácido graxo linoleico (ômega 6)  e carotenóides torna o óleo de girassol poderoso para massagens no corpo  conferindo nutrição, umectação e vitalidade à pele, por ser um óleo de absorção mais lenta faz com que ele seja utilizado nos tratamentos estéticos, relaxantes e os mais longos em spas. Uma peculiaridade deste óleo é a aplicação no cuidado com os pacientes de cama, para o proteção das escaras que se formam. Extremamente versátil e compatível com todos os tipos de pele , de preferência as menos oleosas é o tratamento ideal devido seu preço e benefício.

Devido apresentar quantidades superiores de  Vitamina E  em relação as quantidade presente  na manteiga de karité e óleo de amêndoas , o óleo de girassol  leva vantagem quando utilizado regularmente,  prevenindo danos nas células da pele decorrentes da luz solar e os raios ultravioletas, previne  também formação de cicatrizes, suaviza a aparência de rugas já existentes e, em geral, melhora a saúde e a aparência da pele. Outro destaque também é a presença das vitaminas D, C e A. Pesquisas demonstraram que esse perfil faz com que o óleo de girassol possa ser utilizado  para proteger a pele dos recém-nascidos prematuros, cuja pele é mais susceptível a infecções.

Contém carotenóides  forma de vitamina A encontrada nas plantas e betacaroteno sendo considerado um excelente óleo para limpar e hidratar a pele propensa a acne, a presença do betacatoreno ajuda a suavizar a aparência de erupções vermelhas e inflamadas e manchas e igualar o tom de pele.

Fica a dica de um óleo interessante para diversas aplicações!

Até Breve, Inês Martins

Cleópatra e os óleos essenciais

[Por Margaret George]

Cleópatra, famosa por sua sensualidade irresistível, já sabia aproveitar todos os benefícios da Aromaterapia há séculos.

Quando ia ao encontro de seu amado Marco Antônio, ela o seduzia de longe: encharcava as velas de suas embarcações em óleo essencial de jasmim e deixava que os ventos anunciassem sua chegada.

Ao espalhar o perfume afrodisíaco pelo caminho, fazia com que seu amante ansiasse ainda mais por sua chegada.

Além disso, conta-se que, nas noites de amor do casal, as criadas da rainha mergulhavam aves em tanques cheios de óleo essencial de rosas para que ao voarem espalhassem o aroma sensual destas flores por todo o aposento.

O resultado disso foi uma das maiores paixões de todos os tempos.

Nota: Indicação do livro: ”As Memórias de Cleópatra”,  autora Margaret George, lançado pela Geração Editorial.

Mocinhos ou Bandidos?

Olá, tudo bem?

Ao longo desses últimos anos ouvi muitas histórias sobre essências e óleos essenciais, onde as essências são vilãs e os óleos essenciais são mocinhos, ás vezes parece até aqueles romances do velho oeste, nessas histórias não há mocinhos e nem bandidos, o importante é o “conhecimento“.  Essências são produtos sintéticos derivados do petróleo cuja a função principal é perfumar, sem pretensão de qualquer atividade farmacológica, elas estão praticamente em todos os produtos de consumo diário em nossas vidas.

Óleos essenciais são provenientes de plantas, podemos dizer até que óleos essenciais são vivos e complexos possuem propriedades terapêuticas, os quais podem ser utilizados em técnicas  de aromaterapia,  lembrando que não é porque são naturais que devam ser utilizados sem critério de maneira negligente, pois a diferença entre “fazer bem ou fazer mal ” está na dosagem utilizada.

Mas afinal de contas por que há tantas confusões entre eles? Talvez  seja porque há um misticismo do que é sintético não serve e o que é natural serve perfeitamente para nós seres humanos. O sintético em excesso pode comprometer a função de qualquer  ativo em uma formulação assim como o natural em excesso em uma massagem terapêutica  é capaz de provocar verdadeiras reações alérgicas.

Quantas vezes ao entrar em uma loja perfumada com um  aromatizante sintético  sentimos uma satisfação  agradável de frescor e limpeza,  assim como é agradável receber uma massagem terapêutica nos pés após um dia de cansaço e trabalho onde podemos usufruir do conjunto: óleos essenciais, óleos vegetais e técnicas terapêuticas.

O fundamental é bom senso e conhecimento!

 

Aromaterapia e Aromacologia no bem estar do dia a dia.

De volta ao assunto de memórias e a ciência de odores clique aqui, pudemos observar como os odores estão intimamente ligados ao nosso bem estar e as nossas memórias olfativas, mas como podemos usufruir de maneira benéfica no nosso bem estar? O olfato é um dos sentidos mais potentes que temos, quando inalamos óleos essenciais, as células olfativas são estimuladas e repassam para o sistema límbico (centro emocional do cérebro), as propriedades de cada óleo essencial estimulando diferentes sistemas em nosso cérebro…pensando nisto é que surge a aromaterapia muito conhecida no mundo atual, que consiste no conjunto de técnicas de aplicação de óleos essenciais para obter efeitos terapêuticos (físicos ou emocionais), entre essas técnicas podemos citar: a difusão aérea, massagem, banhos, fricção, compressas, escalda pés, pulverização, inalação e sauna facial entre outras.

Agora vamos conversar um pouquinho sobre aromacologia,  termo utilizado para definir efeitos psicológicos e fisiológicos das fragrâncias naturais( óleos essenciais)  ou sintéticas( essências), explorando as relações existentes entre os compostos aromáticos e os estados de espírito que eles estimulam em nosso bem estar diferentemente da aromaterapia, a aromacologia não se propõe a aplicações terapêuticas, dedicando-se principalmente as questões sensoriais.

Para entendermos melhor cito aqui um exemplo: quando compramos um xampu para cabelos oleosos a essência de menta (produto sintético) está ligado sensorialmente a função refrescante, mas não fisicamente a ação deste dependeria de um princípio ativo como óleo essencial de menta que poderia
estar ou não presente na fórmula, sabemos que o óleo essencial de menta tem a função de regular a produção sebácea e caspa, e também poderia proporcionar odor refrescante, outro exemplo seria os aromatizantes de ambiente cuja a função principal é proporcionar bem estar ao ambiente, em sua maioria estão presentes as essências.

No próximo post concluiremos a ciência dos odores falando dos óleos essenciais e das essências sintéticas.

As Memórias e a Ciência dos Odores

18Sabe quando aquele aroma de café fresquinho ou de um bolo que acaba de sair do forno lembra a casa da sua avó ou da sua mãe?

Quando o cheiro de brinquedo novo, ainda na caixa, leva você de volta à infância? Ou, ainda, quando amaciante lembra cheiro de bebê?

Existem cheiros que acalmam e que agitam, que nos fazem voltar ao passado ou nos transportam para um evento específico, como o nascimento de um filho.

Os aromas são marcantes, porque olfato, memória e humor estão intimamente ligados. É que, quando sentimos um cheiro pela primeira vez , nosso cérebro produz uma associação entre cheiro e memória, ligando-o a um momento, um acontecimento, uma pessoa ou até mesmo a um objeto.

Essa é a nossa memória olfativa. É ela que consegue associar o cheiro do cloro àquele dia de verão no clube ou, simplesmente, deixar você feliz.

Começamos a criar essas associações antes mesmo de nascer , ainda no útero. Mas é na juventude que encontramos a maioria dos nossos aromas. Por isso, eles geralmente remetem à nossa infância.

O olfato está ligado a emoção: o aroma passa pela narina e atinge o sistema límbico, que aciona a memória para classificar os odores como agradável, desagradável, antigo ou recente.

É sabido que o olfato é o mais evocativo dos sentidos, fazendo a conexão entre as memórias , instintos e prazer, e estudá-lo de maneira completa   permite entender os segredos que envolvem a escolha de um perfume ou as memórias  que um odor pode trazer.

Cada pessoa possui um cheiro de sua preferência “ somos únicos”  , e essa preferência foi construída ao longo da sua vida, com experiências vivenciadas de forma positiva ou negativa. Juntem-se a isso a traços de personalidade  da pessoa e o acesso ao produto odorizante  e teremos sua assinatura aromática.

Agora  você já ouviu falar do termo “osmologia“ então saiba que é a ciência do futuro que  estuda os  o olfato e o os odores , dessa maneira podemos compreender mecanismos que constroem a influência  que o odor exerce sobre um indivíduo , mecanismo esse que  pode ser direcionado para o benefício do indivíduo além da simples perfumação. Os odores são extremamente importante e exercem grande influência em nosso comportamento no dia a dia , estando de maneira profunda em nossas vidas , mas aqui é importante destacar que essa ciência difere da aromaterapia e aromacologia.

E você? Qual odor que te leva de volta a infância?

CACAY, o desconhecido!


CACAY, o desconhecido!

Hoje vamos falar um pouquinho do óleo de CACAY, o desconhecido, todo mundo certamente já ouviu falar do óleo  de ARGAN  conhecido como Ouro do Marrocos tão famoso nos últimos anos pela sua aplicação em cosméticos como : xampus, condicionadores , máscaras capilares , e até mesmo porque não diretamente sobre a pele e cabelos , rico em vitamina E (antioxidante) e ácido graxos  linoleico e oleico tornou-se o queridinho das cabeleiras e  peles das mulheres de todo o mundo, agora vamos falar de outro óleo muito conhecido que é o óleo de ROSA MOSQUETA originário do Chile famoso por minimizar cicatrizes , clarear manchas e tratar peles maduras, tem sido utilizado por várias décadas pelo alto teor de Retinol forma pura de vitamina A que estimula a produção e regeneração celular da pele. Mas afinal de contas quem ou que é esse tal de CACAY?

O óleo vegetal CACAY originário da Cordilheira dos Andes  , é um óleo vegetal obtido da prensagem a frio das sementes da Caryodendron orinocense , onde encontramos duas vezes mais ácidos graxos linoleico e 50 % a mais de vitamina E  do que no óleo de ARGAN, outro destaque é o Retinol que é encontrado em quantidades superiores ao óleo de ROSA MOSQUETA , a presença destes nutrientes fazem do óleo de CACAY , um óleo singular para aplicações capilares na restauração e hidratação de cabelos danificados e também quando aplicado diretamente no rosto antes de dormir , torna-se um excelente tratamento diário natural para peles cansadas ou ainda até mesmo no tratamento de marcas profundas de expressão , é importante lembrar que óleo de CACAY minimiza de maneira considerável as marcas de expressão.

Experimente com certeza você vai sentir a diferença na sua pele e cabelos

CACAY , muito prazer, o conhecido!